Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Abandono de emprego: Como se caracteriza e como proceder

09/05/2019

paraleloz

 

Comete falta grave passível de dispensa por justa causa o empregado que abandonar o emprego, existindo assim os seguintes elementos configuradores do abandono, sendo eles: a falta de justificativa para o não comparecimento, a intenção do trabalhador em não retornar e a ausência prolongada ao trabalho, resultando assim a perca dos direitos antes previstos como o seguro desemprego, 13º salário proporcional, saque do FGTS, aviso-prévio, férias e indenização pela rescisão contratual.

A recomendação usual é de que a empresa comprove que o empregado se mostrou ausente por mais de 30 (trinta) dias sem justificativa ou motivo médico, dias estes, que não são estabelecidos ou previstos em lei, mas é do entendimento dos Tribunais Trabalhistas a existência deste tempo estabelecido, e a falta de intenção do funcionário em retornar ao trabalho, tal comprovação pode ser feita por aviso de recebimento registrado em cartório, comprovando assim que o recebimento foi efetuado pelo empregado e o mesmo não se prestou a esclarecimentos da sua ausência.

Apesar disto, se demonstrado o abandono explícito do empregado, como por exemplo, o mesmo começar a trabalhar em outra empresa em horário incompatível ao seu trabalho original, poderá ser caracterizado abandono antes mesmo de decorrido o prazo de 30 dias, claramente mediante provas do ato praticado pelo empregado a fim de demonstrar tal comportamento.

Assim, não somente poderá a empresa aguardar o transcurso do clássico prazo de 30 (trinta) dias de faltas injustificadas mas, comprovando-se qualquer outro ato inequívoco do empregado de que não pretenda mais retornar ao trabalho (abandono) a exemplo da obtenção de novo emprego em horário incompatível com a manutenção de 02 (dois) contratos de trabalho.

Em todo caso, caracterizado o abandono de emprego, deverá o empregador realizar a demissão por justa causa e, como ocorre na maioria dos casos, com a resistência do funcionário quanto à aplicação da penalidade,  o valor das verbas rescisórias deverá ser feita dentro do prazo legal em conta vinculada à Justiça do Trabalho local através da propositura de Ação de Consignação em Pagamento, evitando assim, a incidência de multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias.

 

*Henri Solanho é advogado do Núcleo Trabalhista da Melo Advogados Associados. 

Exclusão do Herdeiro: Indignidade x Deserdação

Por razões éticas, herdeiros e legatários podem ser excluídos da sucessão. A exclusão do direito à herança pode ser reconhecida através de dois institutos: indignidade e a deserdação, que, nada mais são, do que formas de penalizar o herdeiro quanto ao…

Ler mais…

Tribunal assegura inviabilidade de ação rescisória em teses tributárias transitadas em julgado

Dando sequência ao cenário com o qual nos deparamos nos tribunais superiores desde o início dos anos 90, o direito tributário inaugurou nova questão controvertida entre Fazenda e Contribuintes. No caso em foco, englobando também o direito processual, nos deparamos…

Ler mais…

Medida Provisória 871 – Pente Fino do INSS

Foi publicada em 10/04/ 2019 no Diário Oficial da União (DOU), a  instrução normativa,  IN n.º 101, que regulamenta as mudanças trazidas pela MP 871/19, publicada em janeiro desse ano. Merecem destaque alguns tópicos: > Salário Maternidade O prazo para…

Ler mais…

Inova Simples é criado para impulsionar o desenvolvimento tecnológico nacional

No dia 25/04/2019, o Presidente da República sancionou a Lei Complementar nº167/2019, responsável por criar o INOVA SIMPLES, programa que tem como objetivo, estimular a criação e simplificar a formalização de empresas voltadas ao desenvolvimento de novas tecnologias, as denominadas “startups”.…

Ler mais…