Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Averbação premonitória não gera direito de preferência

07/10/2019

admin_meloadvogados

O Código de Processo Civil de 2015 preservou a possibilidade de averbação premonitória da existência de um litigio executivo no registro de imóveis sob a matrícula de propriedade do devedor, bem como, junto ao DETRAN para o caso de veículos e outros bens móveis sujeitos a penhora, configurando a fraude à execução, à venda ou oneração dos bens após essa averbação premonitória.

Contudo, o Superior Tribunal de Justiça se manifestou recentemente no sentido de que, a averbação premonitória não alcança a expropriação judicial, ou seja, não impede que o bem com a averbação premonitória seja penhorado em outro processo judicial, cuja a penhora efetiva tenha ocorrido primeiro.

De maneira que, a citada averbação premonitória impede apenas que o devedor disponha livremente do bem, mas não impede a adjudicação forçada.

O caso foi analisado no REsp 1334635, cuja decisão foi dada em 27/09/2019, sendo que o Ministro Antônio Carlos Ferreira afastou o pedido de preferência do Banco do Brasil, e determinou que o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul examine o pedido de adjudicação de uma empresa de calçados.

 

Marli Camargo Nunes Kamke, advogada do Núcleo Cível. 

A hipersuficiência no contrato de trabalho

Mesmo passado um ano da vigência da Lei nº 13.467/2017, a famosa “reforma trabalhista”, existem mudanças que não se fizeram tão claras e merecem melhores explicações, exemplo disso é a hipersuficiência. Citada Lei positiva no art. 444, parágrafo único da Consolidação…

Ler mais…

Justiça decide que restituição de imposto de renda é impenhorável

A 21ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão que indeferiu a penhora de restituição do imposto de renda por motivo de dívida. A ação movida pelo credor requeria o bloqueio do valor de…

Ler mais…

Reforma da Previdência: Regras de Transição do Regime Geral

A Reforma da Previdência, se aprovada, adiará a aposentadoria para muitos trabalhadores, principalmente aqueles que estão entrando para o mercado de trabalho. Entretanto, aqueles que já estão trabalhando podem conseguir se aposentar antes se entrarem em uma das cinco regras…

Ler mais…

CARF define que gastos com publicidade geram créditos de PIS/COFINS

A legislação autoriza o Contribuinte a descontar créditos de PIS/COFINS sobre as aquisições de “bens e serviços”, utilizados como insumos na prestação de serviços e na produção ou fabricação de bens ou produtos destinados a sua atividade empresarial, em respeito…

Ler mais…