Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Comissão de corretagem: Cobrança é indevida em desistência do negócio

09/08/2019

admin_meloadvogados

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), firmou entendimento de que é indevida a cobrança da comissão de corretagem quando o comprador desiste do negócio por fato omitido pelo corretor na ânsia de fechar o negócio.

A decisão foi proferida no sentido de confirmar a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que reconheceu a impossibilidade da cobrança realizada por corretor que pretendia o recebimento do valor da comissão após a desistência do negócio, visto que o Código Civil prevê em seu artigo 725 que mesmo havendo o arrependimento do negócio, é devida a comissão de corretagem no caso da desistência.

Porém, o entendimento do Superior Tribunal foi no sentido de que, como o negócio não foi concluído por culpa do próprio corretor, que não teria se pautado na diligência e na prudência ao mediar a negociação, deixando de repassar todas as informações ao comprador, o que fez com o mesmo desistisse do negócio após a assinatura do contrato de compra e venda, onde inclusive já havia realizado o pagamento do sinal de negócio quando efetivamente desistiu, pois foi quando tomou conhecimento da existência de ações judiciais em nome dos vendedores, colocando em risco os compradores na aquisição do bem objeto da negociação, não era devido o pagamento ao mesmo.

De modo que, a Ministra Nancy Andrighi esclareceu ainda no julgado que se o corretor tivesse apresentado aos futuros compradores todas as informações necessárias à segura realização do contrato, à exemplo das certidões negativas, a situação não teria ocorrido na forma que aconteceu.

 

Por: Marli Camargo Nunes Kamke, advogada do Núcleo Cível da Melo Advogados Associados. 

Cartão de crédito: inclusão de taxas pagas às operadoras no novo conceito de insumo

As taxas de cartão de crédito, sob a ótica da essencialidade e relevância, não se mostram incorporáveis ao conceito de insumo, por ser um artifício simplificador de uma parcela da atividade da maioria das empresas.   Contudo, as empresas que…

Ler mais…

STJ quer saber sua opinião: O que a sociedade espera do Poder Judiciário em 2020?

O Superior Tribunal de Justiça, a partir de 29/07 disponibilizou o acesso a uma enquete. O objetivo é realizar uma consulta pública sobre o que a sociedade espera que seja priorizado pelo Judiciário em 2020. A consulta visa estimular a criação…

Ler mais…

Abono Pecuniário – Conversão de férias em dinheiro deve ser solicitada formalmente

A conversão de férias em pagamento é uma decisão do empregado,  não cabe ao empregador assumir uma posição nesta questão. A 7ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) proferiu sentença condenando uma rede de supermercados a…

Ler mais…

Lei de Proteção de Dados – Impactos para a tecnologia na área da Saúde

A lei nº 13.709 de 14 de agosto de 2018, conhecida como a Lei de Proteção de Dados, a qual dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, tem como objetivo de proteger os direitos fundamentais de…

Ler mais…