Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Open Banking, conhece?

12/12/2019

admin_meloadvogados

No início da semana, em nossa sede de Curitiba, recebemos uma comitiva da Acelera Varejo para discutirmos sobre novas oportunidades de negócios advindas do Open Banking.

De forma simplificada, o Open Banking reflete a metodologia e conceituação de um sistema bancário aberto, descentralizado e patronizado, de modo que os dados bancários do cliente passam a ficar à disposição de terceiros, mediante autorização do titular. Na prática, a sistematização se dará por meio de APIs (Application Programming Interface), que são basicamente interfaces que ficarão disponíveis para que terceiros conectem suas soluções e consumam os dados do banco que hospeda os dados.

Munidos de tais informações, os interessados do setor passam a ofertar novos produtos com maior assertividade e objetividade. Para as Fintechs, em especial, é o inicio de um berço ainda mais fértil.

Com isto, uma gama gigante de novas oportunidades de negócios surge, como, por exemplo, a avaliação de crédito utilizando o histórico bancário do cliente e o gerenciamento financeiro da empresa em uma única plataforma bancária que centralize informações de todos os bancos, comparação das tarifas aplicadas pelos bancos, dentre inúmeros outros.

O intuito desta nova forma de estruturação é que o consumidor tenha acesso a uma maior variedade de oferta, democratizando e descentralizando o acesso ao sistema bancário. Para os bancos, mais do que nunca, se espera um aumento significativo da concorrência, já para os consumidores, se espera a prestação de serviços melhores, mais digitais, e com custos menores.

O primeiro país a adotar este modelo foi o Reino Unido, em agosto de 2016. Por lá, os frutos já estão sendo colhidos, com o volume de investimentos em Fintechs saltando de $600.000.000 em 2016 para $1.500.000.000 em 2018, de acordo com a Crunchbase Insights. Após o sucesso da iniciativa no Reino Unido, vários outros países estão seguindo neste caminho, como Estados Unidos, Austrália, Nigéria, e, é claro, Brasil.

Por aqui, o Banco Central do Brasil está com Consulta Pública aberta para ouvir os interessados, e, após, consolidar a Resolução que definirá as bases para o avanço do Open Banking no Brasil. Em parceria com o Roldofo Farias da Fintech Leminy, a Melo Advogados Associados, em nome da Acelera Varejo, irá elaborar carta com recomendações ao Banco Central sugerindo adaptações ao texto original da Resolução.

be92a9bc-5b6e-418b-bc5e-1c2665d11500

Na foto, nossos parceiros de novos negócios: Yuri (Loop Food Sandwiches), Gean (Los Paleteros e Coordenador do Acelera Varejo Paraná) , Gilbert (Los Paleteros), Angelo (Balaroti), Helton (Mercado Verde Mais), Marcos Nagano (10 Pastéis), Rodrigo (Bubble Mix), Rodolfo Farias (da Fintech Leminy), além dos representantes da Melo Advogados Asssociados, Yan Cesar Rodrigues de Melo e Sabrina B. Cavallari.

Terceirização de mão de obra na Construção Civil

A tão mencionada Reforma Trabalhista (lei n.º 13.467 de 2017), ainda gera dúvidas e controvérsias acerca de temas em que mais foram implementadas mudanças. Nesta gama de temas, encontra-se o que a época, talvez, causou mais polêmica e até certa…

Ler mais…

Jornada de Trabalho Hospitalar: Detalhes jurídicos da jornada 12×36

Uma jornada de trabalho muito utilizada no ambiente hospitalar é a chamada “12×36”, onde o empregado trabalha durante 12 horas e descansa durante as 36 horas seguintes. A primeira previsão legal para a implementação da dita jornada está escrita na…

Ler mais…

Revisão da Vida Toda – Simples e Breve!

Nos últimos dias, tem sido muito abordado nas mídias em geral, o assunto da Revisão da Vida Toda, por conta do julgamento do tema 999 pelo Superior Tribunal de Justiça, que pacifica em todo território nacional a discussão se a…

Ler mais…

Programa minha casa minha vida passa a exigir novos prazos por parte das construtoras

Depois de idas e vindas sobre o tema, o Supremo Tribunal de Justiça, no último 11 de setembro, no bojo do julgamento do Recurso Especial Repetitivo n° 1.729.593, referente ao tema 996, fixou quatro teses jurídicas em relação às obrigações…

Ler mais…