Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Protesto de títulos em cartório: Como funciona?

26/11/2018

paraleloz

O protesto de títulos em cartório é uma das medidas de cobrança que você pode usar para forçar o devedor a pagar a dívida.

Esse é um tipo de medida que chamamos de medida coercitiva. Que significa forçar/ obrigar a fazer.

Quando protestar a dívida?

Se você já enviou mensagens de cobrança para o devedor, já ligou várias vezes, já argumentou, já avisou que poderia tomar medidas mais duras de cobrança, e mesmo assim, o devedor não se mexe para pagar a dívida, ou então não mostra nenhum interesse em negociar um acordo de pagamento, chegou a hora de você tomar uma atitude mais enérgica.

Como protestar a dívida? 

Se você é uma empresa que já trabalha com cobrança bancária, basta você comandar a instrução de protesto site do seu banco, mas, se você ainda não usa o serviço de cobrança bancária, você também pode fazer o protesto pessoalmente, diretamente no cartório da cidade do devedor.

Para dar entrada no protesto, você precisa apresentar a cópia autenticada da nota fiscal de venda com o canhoto assinado, juntamente com a duplicata mercantil.

A duplicata mercantil é o título de crédito que representa a dívida assumida pelo devedor.

Costumamos emitir essa duplicata mercantil para fazer antecipação de recebíveis ou então no momento do protesto.

Duplicata sem aceite

A duplicata tem um espaço para assinatura do devedor, que é o chamado aceite do devedor.

Mas, para fazer o protesto por falta de pagamento você não precisa pegar essa assinatura, porque o canhoto assinado serve para substituir esse aceite.

Prazo de pagamento em cartório

Depois que você der a entrada nessa documentação, o cartório de protesto vai enviar um aviso de protesto para o devedor, dando para ele 3 dias para efetuar o pagamento da dívida.

Se dentro desse prazo o devedor efetuar o pagamento, o dinheiro ficará disponível para você retirar no cartório.

Lavratura do Protesto

Se o devedor não pagar dentro do prazo mencionado acima, o cartório vai lavrar o protesto e emitir um documento chamando de instrumento de protesto.

Depois que o título é protestado, o devedor não pode mais pagar no cartório, podendo apenas fazer o pagamento diretamente ao credor.

Efeitos do protesto

Quando o devedor está com o nome protestado, essa informação negativa vai aparecer na Serara, no SPC, na Boa Vista e em muitos outros serviços de proteção ao crédito.

Isso vai fazer com que devedor tenha dificuldades para comprar a prazo com outros fornecedores, bancos, instituições financeiras e também em órgãos públicos.

O protesto é uma restrição grave e, por isso, o devedor vai ter mais interesse em acertar a dívida com você.

Cancelamento do protesto

Somente se o devedor pagar toda a dívida é que você vai entregar para ele o instrumento de protesto.

Esse instrumento de protesto é o documento que permite que o devedor faça o cancelamento do protesto junto cartório e limpe o seu nome.

Se você perder esse instrumento, você pode emitir a carta de anuência, que é o documento que substitui o instrumento de protesto.

Gratuidade do protesto

Fique sabendo que em alguns Estados como, por exemplo, São Paulo, você não precisa pagar as custas para protestar o devedor. Quem irá fazê-lo será o devedor no momento do pagamento em cartório ou cancelamento do protesto.

Fonte: Portal Crédito e Cobrança 

Tributação sobre terreno recebido em permuta é afastada pelo Superior Tribunal de Justiça

Por: Thiago Henrique de Mendonça Frason* O STJ decidiu recentemente (REsp nº 1.733.560/SC) que na hipótese de permuta de unidades imobiliárias o valor dos bens recebidos na troca não integra a base de cálculo do IRPJ e da CSLL, ainda que…

Ler mais…

Banco Central altera regras sobre fatura de cartões de uso internacional

Foi publicada no DOU desta quinta-feira, 29, a circular 3.918/18 do Banco Central do Brasil. A norma altera dispositivos da circular 3.691/13 relativos aos cartões de uso internacional. De acordo com a circular mais recente, o emissor de cartão de crédito…

Ler mais…

Escritura pública prevendo separação total de bens na união estável impede partilha de imóvel

STJ reformou decisões das instâncias ordinárias que consideraram presunção do esforço comum para a formação do patrimônio. Por decisão unânime, a 4ª turma do STJ negou a um homem a partilha de imóvel comprado durante união estável pela companheira. A…

Ler mais…

Justiça Diverge da Receita Federal e determina exclusão do ICMS destacado

Por: Lucas Antoniacomi Dal Lin*   O Tribunal Regional Federal da 4ª Região proferiu os primeiros julgamentos sobre a amplitude da norma fazendária que regulamenta a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e COFINS. Com a recente…

Ler mais…