Newsletter e atualizações

Fique por dentro de notícias selecionadas pela Melo

Tributação sobre terreno recebido em permuta é afastada pelo Superior Tribunal de Justiça

06/12/2018

paraleloz

Por: Thiago Henrique de Mendonça Frason*

O STJ decidiu recentemente (REsp nº 1.733.560/SC) que na hipótese de permuta de unidades imobiliárias o valor dos bens recebidos na troca não integra a base de cálculo do IRPJ e da CSLL, ainda que o contribuinte tenha feito opção de tributação pelo regime do lucro presumido, ratificando decisões já proferidas pelos Tribunais fracionários.

O entendimento contraria a orientação da Secretaria da Receita Federal constante do Parecer Normativo Cosit nº 09/2014, no sentido de que as empresas do lucro presumido com atividade de incorporação imobiliária ou loteamento deveriam oferecer à tributação o montante referente ao terreno.

A decisão consolida o entendimento jurisprudencial da corte superior, possibilitando, por conseguinte, o ingresso de ação por interessados, perquirindo o afastamento da tributação na realização da permuta, bem como a compensação/restituição do indébito pelos últimos 05 (cinco) anos.

*Thiago Henrique de Mendonça Frason é advogado do Núcleo Tributário da Melo Advogados Associados. 

Receita Federal ignora disposição legal e passa a cobrar IOF sobre receitas decorrentes de exportação

O Imposto sobre Operações Financeiras – IOF, tem como um de seus fatos geradores, conforme dispõe o artigo 63, inciso II, do Código Tributário Nacional, “quanto às operações de câmbio, a sua efetivação pela entrega de moeda nacional ou estrangeira,…

Ler mais…

Bônus de contratação – “Hiring Bonus” não está sujeito a contribuição previdenciária

Por unanimidade, a 2ª Turma da Câmara Superior do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) de forma inédita  afastou a incidência de contribuições previdenciárias sobre a parcela conhecida como hiring bonus, ou bônus de contratação, ao entender que o bônus…

Ler mais…

Roubo em estrada pedagiada: STJ entende inexistir responsabilidade do pedágio por se tratar de ato de terceiro

00, tendo em vista que referido tribunal entendeu de forma unânime que se trata de fato praticado por terceiros, afastando a responsabilidade da concessionária do pedágio. No caso concreto, uma família foi assaltada e sequestrada com arma de fogo na…

Ler mais…

Erro cartorário: STF Decide sobre responsabilidade do estado

Poucos sabem que os cartórios em geral exercem uma função de competência delegada, isto é, função de competência originária do Poder Executivo do Estado, mas que desde a Constituição Federal de 1988, pode ser delegada à iniciativa privada, nos termos…

Ler mais…